Cesta básica sobe mais de 18% nos últimos 12 meses em Uberlândia

Centro de Pesquisas Econômico-Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (Cepes/UFU), vinculado ao Instituto de Economia e Relações Internacionais (IERI), tornou públicos nesta sexta-feira (19/11), os resultados referentes ao mês de outubro de 2021 da Pesquisa Mensal de Preços na cidade de Uberlândia. As divulgações dos boletins do Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Cepes) e da Cesta Básica de Alimentos (CBA) têm o objetivo de analisar a dinâmica econômica local, a partir da variação mensal dos preços praticados em produtos e serviços, que refletem o gasto de famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos.

No mês passado, o IPC-Cepes fechou com alta de 1,04%, completando 17 meses sem registrar deflação. Com isso, a variação acumulada nos últimos 12 meses foi de 9,52% e, em 2021, já soma 7,37%. Quando comparada com os índices nacionais de inflação, para o mês de outubro deste ano, Uberlândia apresenta uma taxa menor do que a de 1,16% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que também mede a variação do custo das famílias com renda mensal de um a cinco salários mínimos. Já em relação ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que avalia os gastos das famílias com renda mensal de um a 40 salários mínimos, a taxa do IPC-Cepes é 0,21% mais baixa.

Referente à pesquisa do gasto mensal da Cesta Básica, foi constatado que em outubro de 2021 os uberlandenses precisaram desembolsar R$ 577,43 para adquirir os produtos (nas quantidades estipuladas) que compõem a CBA do Cepes. Após as quedas consecutivas registradas em maio e junho de 2021, nos últimos quatro meses analisados, o aumento é de R$ 62,86 no valor final da cesta. Em outubro de 2020, o valor da CBA era R$ 487,49 e, no passar de um ano, subiu em R$ 89,94, o que representa uma alta de 18,45%. Dos 13 bens que compõem a CBA, sete apresentaram aumento nos preços de setembro para outubro deste ano. As maiores elevações foram verificadas na batata (30,39%), no tomate (15,74%) e na banana (6,24%). Por outro lado, as maiores reduções nos preços foram: leite (-2,98%), feijão (-2,81%) e pão (-2,53%).

Já no IPC-Cepes, em comparação com setembro de 2021, todos os nove grupos analisados apresentaram aumento de preços, com destaque para os “transportes”, com alta de 2,44% – influenciada pelo item “combustíveis (veículos)”, que ficou 5,34% mais caro e foi o responsável pelo maior impacto no índice inflacionário. Porém, as maiores altas registradas foram nos itens “tubérculos, raízes e legumes” (com 17,55%), seguida por “fotografia e filmagem” (8,85%), “joias e bijuterias” (7,01%) e “roupa infantil” (5,85%). Abaixo, é possível conferir todos os índices de cada grupo analisado.

A estimativa de Salário Mínimo Necessário (SMN) para uma família de quatro pessoas, na cidade de Uberlândia, também foi anunciada e ficou em R$ 4.851,03. O salário mínimo oficial (R$ 1.100,00) equivale a 22,68% do necessário, conforme a pesquisa, que avaliou o poder de compra no maior município do interior de Minas Gerais, durante o mês de outubro.

Fonte: Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

LIVE OFFLINE
track image
Loading...